domingo, 19 de dezembro de 2010

Tem Africano Campeão Mundial de Futebol.


Mas não é o Mazembe, time sensação desta última edição do Mundial Interclubes.
É Samuel Eto’o, o camaronês da Inter de Milão, que deu passe para o 1º gol, fez o 2º, nos 3x0 da Internazionale contra o time africano, e recebeu o premio de melhor jogador do torneio.

A Intenazionale afastou a zebra e garantiu o favoritismo, com belas atuações de Pandev, autor do 1º gol, e dos brasileiros Thiago Mota, Lúcio, Maicon e Júlio César e, é claro, do melhor jogador do Mundial, Samuel Eto’o.

O Mazembe, antes da partida, fez seu ritual, com todos os jogadores ajoelhados na linha de gol, uma das mais marcantes imagens deste Mundial Interclubes, ao lado das comemorações de seu goleiro, Kidiaba, quicando sentando, e da cara de retrosaliência humana de Celso Ruth, quando o Inter de Porto-Alegre perdeu a partida por 2x0 para a equipe congolesa, nas semi-finais.

Porém, a equipe mostrou suas deficiências, e, ao contrário do Internacional de Porto-Alegre, o Xará mais famoso, de Milão, mostrou sua superioridade, chegando aos 2x0 ainda no início do 1º tempo da partida, fácil e tranqüila. Sem fazer maiores esforços, a Inter chegou aos 3x0 no final 2º tempo, garantindo o resultado e 3º título mundial.

Menos mal para os torcedores colorados que nutriram desejos de vingança sobre a equipe do Mazembe. E o Inter ainda venceu a disputa pelo 3º lugar, colocação inédita entre equipes sul-americanas. Inédita, mas nunca antes desejada.

E, como dizem por ai. Em Abu NÃO DaBi.

Fonte da Imagem: http://www.inter.it/aas/img/139112.jpg

quarta-feira, 15 de dezembro de 2010

Colorado de Absoluta Vergonha. Kidiaba Aconteceu?


Nunca antes na história do Mundo da Bola, houve uma final de Campeonato Mundial Interclubes que não tivessemos de um lado um time europeu, e do outro, um time Sul-Americano, disputando o título na final (com a exceção daquele Mundial da FIFA esquisito, vencido pelo Corinthians, no Maracanã).

Eis que hoje, o Mazembe, time do Congo (alguém sabe se o Congo, algum dia, foi a uma Copa do Mundo?), após surpreender o mundo, ao vencer o Pachuca do México, eliminou o Internacional de Porto-Alegre, por 2x0, gols de Kabangu e Kaluyituka, se tornando a primeira equipe africana (e mais, não européia ou sul-americana), a disputar uma final de Mundial Interclubes. Mas Kidiaba, o goleirão congolês, foi mais uma vez o nome da partida, tanto pelas defesas, como pela forma como comemora os gols (foto).

A torcida colorada não merecia tal vexame. O time até que dominou a partida mas foi incompetente. Desperdiçou as muitas chances de gols que produziu. Rafael Sobis perdeu duas chances. Giuliano mais uma. Tinga e Alcsandro também erraram suas finalizações.

Não pude assistir ao vivo. Estava trabalhando e até me esqueci da hora da partida, tanto trabalho que tinha, quando recebi um SMS da minha Rainha, com a notícia de que já estava 1x0 para o Mazemba e que a partida estava nos 30' do 2º tempo.

Mal acreditei na mensagem. Menos ainda quando vi, pela internet, já com o jogo terminado, que a partida terminou 2x0. Chegando em casa fui ver o VT e acreditei menos ainda. Como assim o INter perdeu, com todas aquelas chances e o time africano com tão poucas? Como assim o Celso Ruth escalou o time daquele jeito, mexeu mal, não pôs o Andrezinho, tirou o Tinga e o Sobis e ainda ficou com aquela cara de paspalho no final do jogo?

Definitivamente, não foi um ano para o Futebol Brasileiro. Apesar da Conquista da Libertadores, pelo próprio Inter, o vexame da eliminação precoce, contra um time africano, torna o ano Colorado uma piada e diminui o título continental.

O que aliás, a Comenbol já tratou de providenciar por ano seguinte, vide os grupos escalados e sorteados (cabeças de chave escalados), patra a próxima Libertadores.

Mas quem sou eu para criticar a Comenbol, quando aqui mesmo em Terra Brasilis a CBF faz pior. E torna o melhor time de todos os tempos, o Santos de Pelé, um "campeão de papel", ao equiparar seus títulos na Taça Brasil (uma espécie de Copa do Brasil), aos Campeonatos Brasileiros, sendo que estes só passaram a exitir a partir de 1971. E o Galo é o primeiro Campeão Brasileiro.

O pior é que tal equiparação não muda nada. Talvez um santista sem noção, que antes não se dizia octacampeão, provavelmente o fará. Um Palmerense pode seguir pela mesma linha, apesar de que, com a equiparação se torna Bi-campeão no mesmo ano (1967 em que ganhou o Robertão e a Taça de Prata). Estes, assim como os botafoguenses, nunca vi bradarem tais títulos como se fossem campeonatos brasileiros. No máximo clamarem que reconhecem as importancias de tais títulos, o que nunca foi negado.

Ao contrário dos Tricolores Cariocas, que num mesmo ano viraram bi-campeões, com uma distância de 40 anos entre cada um dos títulos. A conquista deste ano, e a equiparação do titulo da taça de prata, de ouro, de lata, seja lá o que for), de 1970. Somando-se ao título de 1984, de Romerito, Assis e Wasington (aquele que não perdia um monte de gols), eles seriam tricampeões. Não são. Mas antes mesmo da equiparação já se diziam serem. Há quem diga que são Tetra, contando com o "honroso" título da 3ª divisão de 1999. Aquele que valeu para em 2000 ignorarem a Segundona, catapultados por esta mesma CBF que so faz a Melhor Escolha Razoável Das Alternativas a ela dispostas. Ou seja...

Tal equiparação só diminui a importância, tanto do campeonato Brasileiro, em que todos os times, desde a primeira rodada do campeonato sabiam que se tratava de ser, aquele campeonato, um Brasileirão, como dos títulos conquistados antes de existir Campeonatos Brasileiros, que aliás, situam-se num período histórico chamado de "Era de Ouro do Futebol Brasileiro".

Antes que digam que o clamor da maioria dos clubes fez com que tal reconhecimento fosse admitido, apenas duas equipes realmente se locupletam de tal assalto à memória do futebol. E mesmo assim para mal. As outras equipes (perfazendo 6 no total, sobram 4), que são brindadas com títulos que lhe caem nos colos, ficam mais distantes, se considerada tal famigerada equiparação, dois ou um título a mais para se tornarem os maiorais do Brasileirão (claro, para quem considerar a equiparação como regra).

Enquanto, do outro lado, duas equipes, politicamente adversas a atual gestão da CBF (ou Confraria de Bufões Fabulistas), são mais uma vez neste mesmo ano, extremamente prejudicadas. Se considerarmos todos os campeões de Campeonatos Brasileiros, DEZ equipes são prejudicadas para que seis tenham equiparados os títulos antes que existissem os Brasileirões.

De qualquer forma, como se isso se fosse mudar alguma coisa. Sabemos que, na prática não muda nada.

Se pretendiam reparar injustiças, criaram outras. Agora, sobre os títulos do Santos de Pelé, que nunca foram de Campeonatos Brasileiros, com a equiparação, recairam observações. Estão equiparando o Santos de Pelé ao Sport Club do Recife. Ou seja, o Santos de Pelé é um campeão no tapetão. O Rei do Futebol não merece isso

Já o Botafogo do Garrincha não é um campeão de papel. Garrincha não estava no Botafogo de 68 que ganhou aquele campeonato com nome diferente.

Palhaçada! Aliás, este era o nome original do post. Mas aí veio a derrota do Inter no Mundial Interclubes.

Fim da polêmica? Nem por cima do meu cadáver!

Os campeões do Campeonato Brasileiro de Futebol são:

Flamengo: 6 Títulos - Primeiro Pentacampeão - 1980; 1982; 1983; 1987; 1992; e 2009.
São Paulo: 6 Títulos - Único Tricampeão em seqüência - 1977; 1986; 1991; 2006; 2007; e 2008.
Palmeiras: 4 Títulos - 1972; 1973; 1993; 1994.
Vasco da Gama: 4 Títulos - 1974; 1989; 1997; 2000.
Corinthians: 4 Títulos - 1990; 1998; 1999; 2005.
Internacional: 3 Títulos - 1975; 1976; 1979 (único invicto).
Grêmio: 2 Títulos - 1981 e 1996.
Santos: 2 Títulos - 2002 e 2004.
Fluminense: 2 Títulos - 1984 e 2010.
Atlético Mineiro: 1 Título - 1971.
Guarani: 1 Título - 1978.
Coritiba: 1 Título - 1985.
Bahia: 1 Título - 1988.
Botafogo: 1 título - 1995.
Atlético-PR: 1 Título - 2001.
Cruzeiro: 1 Título - 2005.


Fonte da Foto: http://www.clicrbs.com.br/esportes/rs/noticias/futebol-inter-mundial-2010,3141940,Goleiro-do-Mazembe-vira-atracao-no-Mundial-com-grandes-defesas-e-comemoracao-inusitada.html

quinta-feira, 9 de dezembro de 2010

Para O Goiás, Apenas A Segunda Divisão.


O Goiás encerrou hoje a péssima temporada, perdendo por 3x1 (gol de Rafael Moura - foto), e com os 5x4 nos penaltis, foi derrotado na final da Copa Sul-Americana 2010. O Esmeraldino tinha a vantagem de dois gols, construída na partida em casa. Nâo foi o suficiente. Nos penaltis, deu Independiente.

O Luxemburgo disse:
"O Galo Não Caí". Não caiu.
"O Flamengo não cái." Não caiu.
"O Fla disputará Sul-Americana do ano que vem". E irá.

Não por competência dele, mas por incompetência de seus rivais. Vanderlei Luxemburgo, enquanto treinador, é um excelente profeta.

O Goiás, pela temporada, rebaixado à 2ª divisão do Brasileirão, não merecia ir à Libertadores 2011.
Mas, por ter eliminado Avaí, Grêmio, Peñarol, Palmeiras (qd parecia inviável), e até mesmo pelo que jogou hoje, poderia ter conseguido, com honras, esta vaga.

Durante um tempo até torci para que isso acontecesse. Mais para desmoralizar a Conmebol, que consegue ser pior do que a CBF, na (falta) gestão dos campeonatos sob sua tutela.

Melhor que os argentinos do Independiente tenham vencido a Sulamericana deste ano. Pelo menos a Libertadores fica melhor, com o Grêmio como um dos representantes brasileiros. O Grêmio merece, pela arrancada pós-Silas, sob a gestão do Renato Portaluppi. Se a troca de treinadores tivesse acontecido mais cedo, talvez o Grêmio teria disputado não apenas vaga para a Libertadores, mas o título do Brasileirão.

Com a derrota do Goiás, ainda caiu em nossos colos rubro-negros a vaguinha para a Sulamericana 2011, este campeonato mequetrefe que deveria ser disputado no mesmo calendário da Libertadores, assim como é na Europa com a Champions e a Europa League (ex- Copa da UEFA), acontecendo simultaneamente. E sem atrapalhar as copas nacionais.

Aos esmeraldinos, minha simpatia, a estupefação pela forma como os gols argentinos aconteceram (todos bizarros), e o reconhecimento de que o Verdão do Cerrado jogou melhor, apesar do placar.

Fonte da Foto: http://www.ole.com.ar/independiente/Noche-Copa-Avellaneda_5_386411360.html

quarta-feira, 8 de dezembro de 2010

E o Tricolor é Bi.


No último domingo, o Fluminense confirmou o favoritismo, vencendo o Guarani por 1x0, gol do (rubro-negro) Emerson Sheik e conquistou o título do Brasileirão 2010, 26 anos após sua primeira conquista em 1984.

Se o time de 1984 contava com o trio formado por Washington, Assis e o paraguaio Romerito, o de 2010 teve Fred, Emerson Sheik e Conca (foto). Mas contar mesmo, tanto o treinador Muricy Ramalho, como o torcedor tricolor, só puderam contar o tempo todo, ao longo do campeonato, com o argentino Dario Conca. Jogou as 38 partidas, assumiu a bracedeira de capitão durante as longas ausências de Fred e comandou o time, armando jogadas, dando passes para gols, fazendo gols (9), e até mesmo ajudando a defesa. O "Mogli" como costumamos chamá-lo parece incansável, é habilidoso e possui ótima técnica. Não à toa foi eleito o melhor jogador do campeonato tanto pela CBF no Prêmio Craque do Brasileirão 2010, como pela torcida (Craque da Galera, na mesma premiação), e ainda recebeu a Bola de Ouro da revista Placar.

Mas o Fluminense não foi só o Conca. O patrocinador investiu pesado e o clube contratou nomes de peso, como Deco, Belletti, Emerson Sheik e manteve a base do time de guerreiros que no ano passado livrou o tricolor de mais um rebaixamento, quando a chance de cair era de 98%. Fred era o o grande nome e capitão da equipe.

Contudo, tais jogadores passaram a maior parte do campeonato no departamento médico do clube (cujos integrantes caíram no meio do campeonato, após uma crise interna). Problema que certamente deu muitas dores de cabeça ao treinador Muricy Ramalho, talvez a melhor contratação do Fluminense para este ano, chegando, inclusive, a esnobar a convocação para a Seleção Brasileira. Melhor para o Tricolor das Laranjeiras. O treinador consegui lidar com as dificuldades. Sabe como poucos como comandar um time num campeonato de pontos corridos e chegou ao seu quarto título brasileiro.

Ao chegar na frente da tabela, na última rodada, bastava vencer para não se preocupar com os rivais. O Corinthians vinha em 2º, mas empatou em 1x1 com os reservas do rebaixado Goiás. Melhor para o Cruzeiro que ultrapassou o Timão ao vencer de virada o Palmeiras por 2x1. O gol de Emerson Sheik, após boa jogada de Carlinhos e cabeçada de Washington garantiu a 1ª colocação ao Flu e a torcida Tricolor, após duas frustrações recentes, coms os vices-campeonatos da Taça Libertadores e da Copa Sul-Americana, pôde enfim comemorar um título.

Parabéns Flusão Bi-Campeão!!

Fonta da Imagem: http://src.odiario.com/Imagem/2010/12/06/m_214145846.jpg

quinta-feira, 25 de novembro de 2010

Ironias Do Futebol: O Goiás Tem A Força.



Ironia maior do que um time, que após uma pífia campanha no campeonato nacional foi rebaixado, com duas rodadas de antecipação, poder ser o campeão sul-americano do mesmo ano e garantir vaga na Copa Libertadores do ano seguinte, quando estará disputando a 2ª divisão do campeonato brasileiro? Ironia, seu nome é Goiás.

Após perder a primeira partida, em casa, por 1x0, para o Palmeiras, tradicional Palestra Itália paulistano, que abriu o placar hoje, ainda no primeiro tempo, o Verdão Goiano reverteu o resultado, empatando no final do 1º tempo e virando quase no fim da partida.

Nos dois lances de gol participou o artilheiro Rafael Moura, que desta vez não marcou, mas deu os passes para gol (assistências). De fato, se o Rafael Moura é o He-Man, e o He-Man tem a Força, a Força é verde, tal qual o Castelo de Greyskull.

Já, ao Palmeiras, de quem só se falava sobre entregar o jogo do próximo domingo, para o Fluminense, que disputa o título do Brasileirão contra o arqui-rival do Palestra Itália, o Corinthians, e que só dava atenção à Copa Sul-Americana, o que resta? Vencer o Fluminense e dar a chance do Timão vencer o Brasileirão? Ou férias e um bom Feliz 2011? Ganha um papel lambido de mariola comida quem acertar o que preferem os torcedores do Porco.

Nunca é tarde para lembrar. Porque foram nos garfar, com pênaltis inventados para si, e existentes mas não dados, para nós, no Engenhão? Fora não terem expulsado o "Gladiota" do Kleber no início da partida, após criminosa entrada em jogador do Fla.

Agora é torcer para o Goiás ganhar da LDU, ou do time argentino, e colocar na Libertadores do ano que vem, um time da segunda divisão do Brasileirão para desmoralizar de uma vez por todas a COMEBOL e sua falta de critérios. Desde claro, que não sejam os Gremistas (alguém mais ainda acredita no Patético do Paraná e no Buááátafogo?).

E "vamo que vamo"... Ajudar a nós mesmos e aos outros.
Domingão, no Estádio do Voltaço, só a vitória interessa. Daí, o que acontecer para o Timão e para os Tricoletes é problema deles e ninguém mais interfere.

Fonte da Imagem: http://www.google.com.br/imgres?imgurl=http://2.bp.blogspot.com/_iRkpmV4yl7g/TOGRZmoQtxI/AAAAAAAAWhU/KY1ra59CYf0/s1600/republica3.jpg&imgrefurl=http://blogdamartabellini.blogspot.com/2010/11/eu-tenho-forca.html&usg=__kGl-nUi6AMGJ285hxSUTECQXdvI=&h=402&w=550&sz=54&hl=pt-br&start=0&zoom=1&tbnid=5n06l7NOldb7cM:&tbnh=146&tbnw=204&prev=/images%3Fq%3DEu%2Btenho%2Ba%2BFor%25C3%25A7a%2BGoi%25C3%25A1s%26hl%3Dpt-br%26biw%3D1280%26bih%3D578%26gbv%3D2%26tbs%3Disch:10%2C300&itbs=1&iact=hc&vpx=367&vpy=95&dur=642&hovh=189&hovw=259&tx=167&ty=111&ei=w8XtTJjvEYO8lQeT59CNCg&oei=w8XtTJjvEYO8lQeT59CNCg&esq=1&page=1&ndsp=18&ved=1t:429,r:13,s:0&biw=1280&bih=578

sábado, 20 de novembro de 2010

O Rock In Rio Voltou!


Há muito, muito tempo atrás, aqui mesmo, nestas terras em que vivemos, houve um movimento que mudou a nação como um todo.
Um não. Alguns.
Um deles foi movido por toda a sociedade, representada por uma casta, que disse “BASTA!” à ditadura.
Do outro lado estava um pessoal que não tinha muito a ver com isso mas que aproveitando-se da abertura resolveu que era uma boa hora para se fazer uma festa.

Então, Tancredo foi eleito presidente e tivemos o Rock In Rio.
Não é coincidência que ambos os fatos tenham ocorridos no mesmo ano.
Na mesma época.

Mas, é mister lembrarmos, no nosso auge de democracia (nunca antes nesta nação houve transições no poder tão pacíficas e ordeiras como agora), e da nossa pujança econômica, que após o maior festival de música do Brasil, após ter vestido as cores de Portugal, da Espanha e até da Polonia, tenha voltado a sua casa.

Muito já se falou, detratando o festival. Muito ainda se falará. No entanto, o que interessa é que teremos um Rock In Rio, no Rio, em 2011.

Pelas atrações anunciadas, só o Metallica me interessa, mas, ainda temos quase um ano para o festival. Por isso me surpreende uma venda tão antecipada de ingressos.
Já que vão trazer o Metallica, que tragam também o Slayer, o Antrax e o Megadeth, e façam um Big 4 (Os quatro grandes do Trash Metal).

Enquanto isso, continuo a espera do retorno do Led Zepellin (com o filho do Bonzo, na batera), do Guns N’ Roses (original), além de shows com os Stones e com os remanescentes do Who.

U-2 e Pearl Jam, que nunca estiveram em Rock In Rio, seriam de bom tom, também. Assim como AC-DC, Whitesnake (ambos estiveram na 1ª edição), ou Aerosmith (Stevie Tyler já se recuperou de sua enésima Re-Hab?). Ah! Tem muita gente boa em que se pensar para vir para o festival (ninguém que tenha se lançado nos últimos dez anos, com exceção, talvez, do Sistem Of Down e do Paramore). E muito tempo ainda para os shows. Muita gente boa ainda poderá confirmar, ou não, presença no festival.

Ainda não dá pra gastar meu rico dinheirinho nos cartões vendidos hj. Mas, já temos boas promessas de que o festival será, no mínimo, honesto (haja vista o preço).


Fonte da Imagem: http://www.google.com.br/imgres?imgurl=http://revistaestilo.abril.com.br/blogs/festeiras/files/2010/07/rock-in-rio.jpg&imgrefurl=http://revistaestilo.abril.com.br/blogs/festeiras/tag/rock-in-rio/&usg=__Sc58upztqxHLNvrsi_foxCeh0Us=&h=362&w=450&sz=22&hl=pt-BR&start=0&sig2=WsvwovtNy9pnf8XavaqH4g&zoom=1&tbnid=id2yq1VPD5xgpM:&tbnh=125&tbnw=142&ei=RUrnTJyfMoGdlgfRv8WdCw&prev=/images%3Fq%3DRock%2BIn%2BRio%26hl%3Dpt-BR%26client%3Dfirefox-a%26hs%3D5Xf%26sa%3DX%26rls%3Dorg.mozilla:pt-BR:official%26biw%3D1280%26bih%3D578%26tbs%3Disch:1%26prmd%3Dni&itbs=1&iact=hc&vpx=257&vpy=113&dur=408&hovh=125&hovw=155&tx=115&ty=120&oei=RUrnTJyfMoGdlgfRv8WdCw&esq=1&page=1&ndsp=21&ved=1t:429,r:1,s:0

domingo, 31 de outubro de 2010

BOTA... FOGO Neste Campeonato.


Tem coisas... Que só com o Botafogo acontecem.
Eu quero processar a AMPLA por ter me deixado sem energia elétrica e, por conseqüência, me privado de assistir a um dos melhores jogos do Brasileirão 2010. Se eu estiver errado, me perdoem, mas, acabo de ver os melhores momentos e não teve pra nenhum jogo. Galo X Fogão foi “O JOGO” da rodada.

Reitero. Não vi a partida "ao vivo". Nem no estádio (que sei lá onde fica), nem pelo PFC, porque sofremos um “apagão” aqui em parte da Zona Sul de Niterói. Que inveja dos meus vizinhos de frente que tinham energia elétrica e puderam acompanhar a partida.

Diego Tardeli, me pareceu, jogou uma partida primorosa. Quase genial. Obina jogou pra caramba. Ainda assim, o resultado da partida foi: Atlético-MG 0 X 2 Botafogo.
Com este resultado, ficando a seis pontos dos líderes, o alvinegro carioca mantém chances reais de título. Papai Joel ainda pode entregar um presente antecipado este ano.

Escrevo ainda no calor da emoção de quem acabou de ver os lances pela internet (site do globo esporte), e ainda tentando entender como pode acontecer de, num jogo, em que o Galo parece ter MASSACRADO o Botafogo, o alvinegro carioca ainda assim ter levado a melhor.

Edno e Loco Abreu fizeram a diferença. Mas, o que jogou o Tardeli? E o que tentou o Obina? Esta, me parece ter sido, uma das melhores partidas do Brasileirão 2010 (embora não tenha assistido ao vivo e por isso posso estar cometendo um grosseiro equívoco, embora acredite que a minha impressão inicial esteja correta)

Já disse isso antes e reitero. Com a vinda de Dorival Jr para o Atlético-MG, o Galo não cai. Por outro lado, o que neguei, omiti e desconsiderei até agora foi o Botafogo como postulante ao título. Não dá mais para negar. Espero que os jogadores do Botafogo estejam sentindo isso, pensem nisso, entendam isso. Que dá para brigarem não apenas por uma chance de vaga na Libertadores, mas pelo título do campeonato em si.

Esqueçamos as rivalidades locais. Eu sou Rubro-Negro. Já ganhei tudo e Sou o Rei do Rio e um dos Melhores do Brasil e do Mundo. Até mesmo por issso, prefiro ver dois times cariocas disputando um título nacional do que ver dois clubes do Rio lutando para não serem rebaixados. A semelhança na análise das equipes entre o campeonato passado e de agora não é mera coincidência.

Um anjo está entre o Criador e a Criatura não para criar, mas para ensinar, para transmitir.
Dizem que o mais belo dos anjos caiu, por querer rivalizar com o criador.
Ainda assim, há quem diga que este anjo é o mais fiel de todos. E que tem a mais difícil tarefa.

Mas "caiu" numa terra, chamada Pau-Grande, outro anjo. Um Anjo Torto. Tão torto que era irresponsável, apaixonado, desligado e irremediavelmente mundano.
Faz 77 anos que isso aconteceu. E muitos "Joões" testemunharam a presença deste ser divino, puro como a "água" que bebia. Maravilhoso naquilo que fazia.
Um Anjo Torto, e das pernas tortas...
Que achava divertido caçar passarinhos.
Que dizia ser sem graça um campeonato sem returno (referindo-se à Copa do Mundo). Que nunca entendeu o que ele representou, e o mito que significa até hoje.
Ou, simplesmente não ligou para isso.
Que amou,
Que errou,
Que driblou,
Que encantou.
E que teria feito 77 anos.
Parabéns, Mané.
Um brinde a ti.
E obrigado.

Fonte da foto: http://mundobotafogo.blogspot.com/2008/09/salv-man-garrincha-e-copa-sul-americana.html

PS: Parabéns tb ao Diego Armando pelos seus cinquentinha.

sábado, 30 de outubro de 2010

O Flu de Conca É Líder.


O Fluminense venceu, no Engenhão, o Grêmio (o de verdade), por 2x0, dois gols de Dario Conca, e assumiu a liderança do Brasileirão. Com isso, a chance do Bicampeonato se torna real. Embora o Tricolor possa desperdiçar tal oportunidade, certamente o melhor jogador do campeonato será o argentino Conca.

32 rodadas, trinta e dois jogos jogados como titular. O único jogador de linha a atingir tal marca. E isso com dor no joelho, dor no tornozelo. Ao contrário de outros nomes relevantes do clube que defende, Conca segue jogando. Jogando bem e fazendo a diferença.

Tudo bem. O Flumimed teve a ajuda do apito amigo. Todo mundo que gosta de futebol sabe que quando o Héber Roberto Lopes vai apitar, provavelmente, vai haver reclamações sobre arbitragem. Como houve, e com razão para quem reclamou, quanto ao escandaloso penalti de Leandro Euzébio sobre Jonas.

Independente disso, Conca jogou muito, e fez o Fluminense vencer o time que detém a melhor campanha no segundo turno do Brasileirão. Dois gols do baixinho argentino, que no 1º acertou um chute de fora da área, no ângulo, enquanto no 2º escorou finalização de Washington, que iria para fora, mas ainda assim teve a humildade e a hombridade de dedicar o gol ao artilheiro que vive um momento complicado.

Com o resultado, o Tricolor pôs vantagem de 3 pontos sobre o Corinthians (que na quarta feira empatou com o Flamengo, em 1x1), e sobre o Cruzeiro, que enfrenta o outro “grêmio”, o ex-Barueri, atual Prudente, futuro “Sabe-Se-Lá”, no sábado.

Alguns diriam que a vitória do Fluminense, contra o Grêmio, foi uma vitória de campeão. Contudo, num campeonato tão equilibrado, com times tão emparelhados, é prematuro se falar de campeão faltando 6 rodadas.

Mas, que a disputa pelo título ficou difícil para qualquer outro time que não o próprio Fluminense, o Cruzeiro, e, ainda, o Corinthians... ah, ficou.

De qualquer forma, será interessante ver até onde Botafogo, Internacional e Santos poderão ir, e o próprio Grêmio. Se bem que o Inter, campeão da Libertadores 2010, com a disputa pelo Mundial Interclubes pela frente, e o Santos, às voltas com suas questões internas, ainda assim campeão da Copa do Brasil, além de não precisarem disputar vaga na Libertadores, parecem ter dado adeus ao Brasileirão. Quem sabe o resultado da partida entre ambos, neste sábado, não anima um dos dois times a alçar vôo mais alto neste campeonato?

Fonte da foto: http://www.fluminense.com.br/index.php?option=com_content&view=article&id=783:mais-adiantado-conca-rouba-a-cena-e-mostra-seu-poder-de-artilheiro&catid=36:direto-das-laranjeiras&Itemid=206

quinta-feira, 28 de outubro de 2010

Que Vença o Melhor. E Que Empate O Pior.


O pior que poderia ter acontecido para qualquer uma das equipes que abriram a 32ª rodada do Brasileirão 2010 na noite de quarta feira, dia 27.102010, era sair derrotado. Mas, o empate em 1x1 pode custar caro para ambas as equipes.

Para o Mengão, jogando em casa, além da decepção de mais uma apresentação ruim da equipe, que marca mal, que cede espaços, que não tem saída de bola, passa mal e não tem jogadas de ataque, a colocação na tabela continua preocupante, poucos pontos a frente da turma que luta contra o rebaixamento, e que ainda jogará nesta rodada.

Para o Timão, os dois pontos perdidos podem significar a perda do campeonato. Se com o empate igualou a pontuação de Fluminense e Cruzeiro (54 pontos), no topo da tabela do Brasileirão 2010, ambas as equipes ainda jogarão nesta rodada, podendo abrir diferença para o time do Parque São Jorge.

Apesar de não ter a melhor posse de bola, o Corinthians jogou melhor, marcando forte no meio-de-campo e partindo no contra-ataque. Desta forma criou as melhores chances de gol da partida. Tanto que assim Ronaldo marcou, em jogada originada de uma bobeira num lance de lateral, no ataque do Flamengo (mais uma vez o time rubro-negro entrega a bola ao adversário em uma cobrança de lateral). E o Timão poderia ter feito mais, se não fosse a caprichosa trajetória da bola batida por Bruno César, em cobrança de falta, que encontrou o travessão rubro-negro.

De melhor, para o Flamengo, foi o gol de Diogo (foto), escorando cruzamento de escanteio de Marquinhos, desviado por Renato Abreu, no início do 2º tempo, encerrando o jejum do atacante e, por fim, mantendo a invencibilidade de Luxemburgo no comando. Contudo, para o Flamengo, ainda faltam 7 pontos para garantir-se na elite e evitar o inédito descenso. Quem dirá garantir vaga na Sul – Americana do ano que vem.

Falando de Copa - Sul Americana, empates também nos jogos de Atlético Mineiro com o Palmeiras, em 1x1, gols do Gladiador para o Verdão, e Obina para o Galo, em jogo com lances polêmicos de arbitragens (embora acredite que a arbitragem tenha acertado no mérito), e de Goiás 2 X 2 Avaí, num confronto entre times que hoje se encontram na zona de rebaixamento do campeonato nacional, o que mostra que esta Copa Sul- Americana é um engodo e deveria ocorrer junto à Libertadores no calendário, assim como a Europa League em relação à UEFA Champions League. É torneio consolação. E não tem motivos para dar vaga à Libertadores do ano seguinte, nem tirar vaga de time brasileiro para a competição mais importante do continente, independente de quem a ganhe.

Vamos continuar batendo na tecla dos calendários e das estapafúrdias formas e regras dos campeonatos que acompanhamos. Desde 4 times caírem no Brasileirão, feito que não ocorre em nenhuma das grandes ligas de clubes do mundo, como, no caso dos estaduais brasileiros, seu desproporcional tamanho em relação a cada vez menor importância que possuem.

O estadual paulista do ano que vem confirma o formato com 20 clubes na 1ª fase, de todos contra todos, em turno único, e 8 times na 2ª fase, em mata-mata. Ridículo. E começa em 16 de janeiro do ano que vem. Nada de férias, ou pré-temporada para os times grandes. Quem é que ganha (lucra) com isso? O time grande, nem seu torcedor, e que não é.

Fonte da foto: http://www.flamengo.com.br/site/noticias/noticia.php?id=10956

sábado, 23 de outubro de 2010

Uma Vez Pelé, Sempre Pelé!


Édson Arantes do Nascimento, apenas o melhor jogador de futebol em todos os tempos, e que desbancando outros valiosos nomes do esporte em sua época foi escolhido o Atléta do Século XX, completou, nesta data, 70 anos.

Infelizmente não pude ver o Rei Pelé em campo, ao vivo. Ainda bem que existem os videotaipes que nos mostram, narram e rasgatam boa parte de sua história. Pena que não toda. Ficaram devendo às gerações posteriores aquele que é dizem ter sido o mais belo de seus 1285 gols.

Mas temos os registros das conquistas de 58', 62' (mesmo contundido) e 70', com a Seleção Brasileira, e o sofrimento e a dor em 66'.
Temos também os dois primeiros títulos mundiais de um clube brasileiro. O Santos de Pelé, Zito, Pepe e Coutinho.

Se existessem campeonatos brasileiros na época de Pelé, o Santos seria octacampeão, pois ganhou 5 Taças Brasil (de 1961 à 1965) e uma Taça Roberto de Gomes Pedrosa (que estão mais para a Copa do Brasil do que para um Campeonato Brasileiro).

Mesmo sem ter sido campeão brasileiro, foi três vezes campeão mundial com a Seleção Brasileira e duas vezes campeão mundial pelo Santos. Se hoje somos pentacampeões mundiais, agradeçamos a ele.

De qualquer forma, quantos gols não ficaram em nossas mentes, mesmo os vendo em VT, como o da final na Suécia, contra os donos da casa. Ou o da Final no México, contra a Itália. Temos ainda o gol mil, de penalti, no Maracanã, em 19 de novembro de 1969, em cima do Vasco da Gama, quando após converter o penalti, com a invasão de campo dos jornalistas, pediu para que o País cuidasse de nossas crianças... Se tivessem ouvido o Rei na época... Quanta coisa não seria melhor hoje no Brasil?

E quantos passes, e "não-gols" foram imortalizados pelo melhor e mais completo jogador de futebol de todos os tempos. Quanta gente boa, do ramo o enaltece até hoje. De colegas de profissão, como Puskas, Beckenbauer e Zico, quanto os jornalistas, daqui e de qualquer parte do mundo.

É o maior ídolo e símbolo maior do futebol e do esporte nacional, senão do mundo. Transcendeu a barreira dos esportes e é, até hoje, a personalidade nacional com mais prestígio em todo o mundo.

Se na música, Lennon disputa com Mozart, na pintura, Van Gogh e Picasso são concorrentes, tratando-se o futebol como arte, nas artes, de maneira geral, Pelé só encontra corolário em Da Vinci. E se tivessem vivido na mesma época, certamente, Da Vinci teria feito o retrato de Pelé.

Como disse antes, não vi Pelé jogar ao vivo. O melhor jogador que tive o prazer, e o privilégio, de ver jogar (e recentemente ver ao vivo, mas não consegi tirar fotos), foi o Zico.

Fica portanto registrado o momento em que ambos jogaram juntos (foto), lado-à-lado, em 06 de abril de 1979, no Maracanã, em partida beneficente às vítimas de uma enchente em Minas Gerais. Flamengo 5x1 Atlético Mineiro.

Pelé, 70 anos de Édson Arantes do Nascimento.
Parabéns, Vossa Majestade. E muito obrigado.

Fonte da foto: http://www.colecione.com.br/manchespotiva78.jpg

domingo, 17 de outubro de 2010

Finalmente! Uma Vitória Convincente.


Com dois gols de Deivid (foto com Juan abraçado), e um de Renato “Uruba” Abreu, o Flamengo despachou o “Boi Colorado”, de volta, para o “Uruguai do Norte”. E nem precisamos jogar bem para vencer um dos (ex) postulantes ao título deste ano. Ninguém menos que o atual campeão da Copa Libertadores.

Parece um caso do “MD. House”. O paciente não parece sofrer nada, todas as suas funções vitais estão bem, mas, mesmo assim, o corpo não funciona. Eis que o “remédio” é praticamente um placebo, e, eis que o time passa a funcionar.

Depois do episódio em que “O Nosso Ídolo Maior” caiu, acreditei que tudo ruiria. Mas eis que, sob a batuta de Vanderlei Luxemburgo, logo ele, o treinador do “Sem-ter-nada”, o Fla vem se recuperando e ganhando posições. Sul-Americana é realidade. Libertadores, ainda um sonho distante e provavelmente devaneio. Mas, sonhar não custa nada.

De qualquer forma, a primeira meta é fazer os 45, ou 46 pontos que nos livre do escárnio, do vexame, da humilhação que seria um rebaixamento daquele que é o Maior e o Mais Querido Clube do Brasil (senão do Mundo).

Então, sobre o Fla, em termos de tabela, nada mais falarei até que o número mágico seja alcançado (45 ou 46), a menos que uma partida seja digna de nota.

Já sobre o jogo de hoje, foi bom ver que o que nos matava antes não mais nos aflige. Pelo contrário. O que nos matava, nos tornou mais forte. Transformou-se em força a bola parada. Desta forma fizemos os três gols desta noite de sábado. E ao contrário dos encontros contra Guarani e Goiás, desta vez soubemos tirar vantagem do placar e ampliá-lo, ao invés de vermos a vitória escorrer sobre nossos dedos.

Que o Vazião seja a nossa casa, alugada, enquanto não mais tivermos como jogar no Maraca.

E que o Renato Uruba continue jogando o que jogou hoje. Ah... O Deivid também.
Já o Inter dá adeus ao Brasileirão 2010. Adeus ao título. Mas, ainda há de fazer uma saída honrosa no clássico Gre-Nal. A Inter de Milão deve estar de garfos prontos e facas afiadas para o mundial. O Rubro-Negro Júlio César que o diga.

Eu tinha previsto, rodadas atrás, que o título ficaria entre Flu, Timão, Inter e Santos. Substituo o Inter pelo atual líder, o “Zêro”. Que acho que perde pro Grêmio amanhã. E aí o Grêmio finalmente se candidata, correndo por fora, a vencer o Brasileirão 2010, sob a batuta do Renato Portaluppi, (ex-Gaúcho).

E o clássico goiano cai para segundona. Assim como o Grêmio “Cigano”. Quem os acompanha? O Galo acho que tem penas para vender e gritos para assustar. Enquanto isso, os ressacados sulistas e os baianos do Barradão que se cuidem.

Fonte da foto: http://www.flamengo.com.br/site/noticias/noticia.php?id=10812

segunda-feira, 11 de outubro de 2010

Você trocaria um clássico de pouca importância por três outros mais relevantes?


Se você gosta de futebol, nem precisa pensar duas vezes. A menos que você seja goiano ou more em Goiânia.

Faltam poucas rodadas (nove para a maioria dos times) para o término do campeonato brasileiro. Hora de separar o joio do trigo, “buchas de canhão” dos “safos”, quem vai ser dos que nunca serão... Enfim, vencedores de perdedores.

Por ora, ficaremos com os perdedores em potencial, na primeira divisão, contra os vencedores em potencial, na segunda divisão do campeonato brasileiro de futebol.

Na Série A, cairiam hoje: Atlético MG, Atlético Goianiense, Goiás e Grêmio Cigano (hoje Prudente, ontem Barueri, amanhã, quem sabe?). Já na Série B, subiriam Coritiba, América MG, Figueirense e Bahia.

Com tal combinação, o clássico goiano cairia para a segundona. Em compensação teríamos na elite do campeonato os clássicos: baiano (Ba-Vi); catarinense (Avaí x Figueira); e Paranaense (Atle-Tiba). Ironia seria o confronto entre times mineiros.

Com a queda do Galo, sairia o time da massa das Alterosas, o primeiro campeão brasileiro, e em seu lugar entraria o América, para confrontar o Cruzeiro, o que seria, no mínimo, irônico.

Devemos lembrar que apenas no Brasil caem 4 times na primeira divisão. Geralmente caem dois, em alguns campeonatos caem três, e no campeonato alemão, o terceiro pior da primeira divisão disputa com o terceiro melhor da segunda divisão uma espécie de repescagem.

Não estou aqui, ainda, fazendo as previsões para o término do campeonato brasileiro (embora acredite que o Grêmio “Cigano” já caiu). E muito menos torcendo pela queda do Atlético Mineiro, que com a chegada do Dorival Jr já mostrou que poderá se livrar da queda.

Mesmo porque, nesta temporada, já caiu um Galo. Injustamente. E basta.

Em tempo. Hoje(ontem), o entrevistado do programa “Juca Entrevista” (com o Juca Kfouri), na ESPN, foi justamente “O Galo”. Mais uma vez, Zico explicou os acontecimentos e fatos que o levaram a deixar a Direção Executiva de Futebol do Clube da Gávea e as razões pelas quais somente como Presidente poderá voltar ao Flamengo. E ainda fala sobre o absurdo que é 700 sócios decidirem sobre o destino de uma nação composta por, no mínimo, 35 milhões de pessoas. Pessoas estas que ele respeita é que jamais deixará de representar. Seu amor pelo Flamengo não diminuiu. E, ainda disse que há na Gávea gente séria, “Pedra 90” nas palavras dele, cuidando do futuro do Mais Querido.

sábado, 9 de outubro de 2010

Brasil perto do TRI no Volei.


A Seleção Brasileira venceu a anfitriã Itália, na semifinal do Campeonato Mundial de Voleibol, por 3x1, e segue firme na luta pelo tri-campeonato. Amanhã, encara Cuba na final.

Não vou me alongar sobre a pôlemica que envolveu este campeonato, acerca da ética e da moral no esporte. Regulamento estranho, esquisito e que beneficaria claramente a dona da casa. Derrota "programada" da seleção brasileira para evitar o confronto antecipado e precoce contra a seleção cubana, que culminaria com uma das duas fora do mundial e a Itália pegaria na semifinal um adversário mais fácil, devido ao cruzamento dos grupos.

O que importa é que na hora da verdade, a Seleção Brasileira, mesmo na casa de um adversário de peso, dignamente venceu e com sobras. Até no set que perdeu, porque se desconcentrou, enquanto os italianos deram tudo o que tinham, o Brasil teve chances de reverter o resultado.

E olha que a muito tempo não via uma partida em que os árbitros de linha errassem tanto, obviamente para os donos da casa e claramente mal-intecionados. Mesmo assim, a Seleção manteve o foco e não caiu nas provocações da arbitragem e dos adversários, vencendo com facilidade a Itália e credenciando-se à obter a marca histórica do Tri-Campeonato.

Vissotto (foto, ao lado de Rodrigão) foi o grande nome da partida. Tanto nas bolas de segurança quanto nas de definição, o "Gigante" (2,12m) foi triunfante e mostrou que a renovação na Seleção já pode gerar frutos.
Que venha o TRI.

sexta-feira, 8 de outubro de 2010

Luxa Estréia com Vitória.


Na (re-re)estréia de Vanderlei Luxemburgo no Flamengo (foto), Diego Maurício e Val Baiano, ambos saindo do banco, fizeram os gols do Fla, na vitória por 2x0 contra o Atlético Goianiense, hoje à noite, em Volta Redonda. Com o resultado o Rubro Negro recompõe a distância para Zona de Rebaixamento, ultrapassa o Vitória e sobe a para a 14ª posição na tabela do Brasileirão.

O Flamengo ainda foi favorecido pelos demais resultados desta noite: Goiás 0x1 Cruzeiro (vice-líder, superando o Corinthians, que ainda tem um jogo a menos), e Palmeiras 4x1 Avaí, em partida com dois pênaltis inexistentes marcados para o Verdão, além da injusta expulsão do goleiro do Avaí, em mais uma trapalhada da arbitragem.

Se o Felipão reclama por não poder reclamar, o que teria ele a dizer se o Palmeiras vem recebendo sucessivos favores da arbitragem?

Os lances dos pênaltis no jogo contra o Flamengo foram de tirar do sério qualquer um, inclusive de torcidas rivais que viram ao meu lado a partida. O marcado para o Palmeiras foi fora da área, enquanto o não marcado, em Diogo, do Fla, foi muito pênalti. Fora não terem expulsado o Kleber em jogada criminosa contra Williams. E não é que foi justo dos pés do Gladiador que saíram os dois gols que deram a tônica da partida.
Hoje a noite não foi diferente. Kleber, mais uma vez foi o pivô de nova confusão que resultou com o apito amigo dos verdes. Deve ser um movimento político pró-PV (Palestra Verdão).

Seja como for, a arbitragem favoreceu o Palmeiras justo contra Flamengo e Avaí, que se encontram no domingo, às 16h, no Estádio da Ressacada, pertinho do Aeroporto de Florianópolis. A luta para se distanciar do Z4 acabou ficando mais interessante após, o que parece ser, o ressurgimento do Flamengo. E de um vitorioso treinador que também vem de uma claudicante campanha, com o seu ex-time o Atlético Mineiro.

Recomeçar é sempre difícil. Significa que algo não ia bem, que alguma coisa deu errado. Há muita coisa errada no Flamengo, onde nem seu maior ídolo, convocado para uma difícil missão, modernizar e profissionalizar o departamento de futebol do clube, obteve êxito. Pelo contrário, se sentiu acuado e escorraçado de seu posto pelos “podres poderes e forças ocultas” que atuam na Gávea (apesar do Renato Maurício Prado equivocadamente achar simplista tal explicação), além de não ter tido respaldo da Presidência do Clube.

É difícil mesmo um homem de bem e do bem se sentir a vontade quando sofre ataques a sua moral, a seu a sua família, sem poder se defender, e sem ter alguém que o defendesse. Pelo contrário. Patrícia Amorim disse para o Zico não ir ao Conselho Fiscal se defender das caluniosas acusações que sofreu. Disse que iria resolver. Disse que estava tudo certo. Na imprensa, não raro numa certa coluna do O Globo, e no Blog do autor das colunas (uma mariola mordida para que disser quem era o jornalista que participou de tal campanha), as acusações continuaram em alto tom. O Galinho saiu, logo depois, como era esperado, o Silas(cou-se), e como todos preconizavam, inclusive a torcida, veio o Luxemburgo.

Recomeçar é complicado. Vanderlei Luxemburgo tinha média de aproveitamento, no Galo (mineiro) pior até mesmo que a de Silas no Flamengo. Precisava de uma “reciclagem”, segundo o próprio. Mas após duas semanas de “folga”, aceitou assumir o Fla em crise e na briga contra o rebaixamento. Na sua 3 ª volta ao comando do time, o ex-jogador rubro-negro (e reserva do Júnior na época), bateu o pé num projeto do Zico, de que o time só treina no Ninho do Urubu, uma espécie de “proto-CT” em fase de criação, e não mais na Gávea, portanto, longe dos sócios do Clube, que mais atrapalham do contribuem. Voltou a fazer treinos coletivos e táticos, coisa que o time não soube o que era durante o mandato de Silas. Voltou a montar o time do 4-4-2.

Foi para Volta Redonda jogar no Estádio da Cidadania, viu o atacante Diogo pedir pra sair aos 17 minutos do 1º tempo, sacou Diego Maurício do banco. Viu o time ir para os vestiários no intervalo sendo vaiado, após até demonstrar luta, mas, pouca técnica, no até então empate em 0x0. Lançou o garoto Marquinhos no lugar do inconstante Kléberson. E o garoto ia mal. Não armava, não marcava, não chegava ao ataque até que, após nova mexida do treinador, Marquinhos lança a bola para Val Baiano (que acabara de entrar no lugar do inoperante Deivid), e este marca seu 1º gol pelo Flamengo.

Depois, aos berros, o “professor” exigia que Juan não mais avançasse ao ataque. Juan desobedeceu a ordem, mas, nesta desobediência conseguiu fazer com que a bola chegasse limpa, na área, para Diego Maurício marcar o segundo gol da partida, fechando o placar em 2x0 para o Flamengo.

Bom recomeço, tanto do atual campeão brasileiro, quanto do ex-super-valorizado treinador. Que seja assim até o final do ano. Vaga na Libertadores não dá para brigar. O título então, está entre Flu, Timão e agora, a Raposa (Inter e Santos vacilaram demais, mas, não estão de todo fora da briga), mas, que tenhamos , enfim, um pouco de paz nesta reta final de brasileirão, para o Mengão.

Fonte da Foto: http://www.flamengo.com.br/site/noticias/noticia.php?id=10704

PS: Obrigado a todos que comentaram o post anterior. Com, Zico, Sempre!

sábado, 2 de outubro de 2010

Com Zico, Sempre.



É triste o dia em que o maior ídolo da maior torcida do Mundo se vê obrigado a deixar o Clube pelo qual tanto fez e ao qual voltou há apenas 4 meses atrás, com um projeto de longo prazo, que tinha como objetivo profissionalizar o Departamento de Futebol do Flamengo, tirando-o do abissal e jurássico atraso em que se encontra.

Mas o atraso tem seus interessados. Há quem viva do caos. Como na política nacional, há quem viva da miséria alheia, da bagunça e da desordem administrativa. Para tal, fazem uso de falsas acusações e de negociatas, recebendo propinas de toda espécie, e submetem-se a qualquer forma de corrupção possível. A estas pessoas não interessa a transparência, a eficiência, o respeito às regras, e muito menos, pessoas de caráter ilibado capitaneando mudanças que interferem nos poderes que tais pessoas têm.

É estarrecedora a notícia da saída do Galinho do comando do Departamento de Futebol do Flamengo, devido às caluniosas, levianas e premeditadas denúncias de favorecimento ao CFZ, ou aos filhos do Zico, sobre negócios que teriam supostamente prejudicado o Flamengo. Fez bem o ídolo em pedir demissão e proteger a si e a sua família dos mafiosos que sugam o sangue rubro-negro.

Quem é este Sr. Leonardo Ribeiro? Uma espécie de Dilma, ou de Erenice, no Flamengo? Um “torcedor profissional”, que vive às custas do time, ao invés de sustentá-lo, de lhe dar suporte? E, como assim, um líder de facção de torcida (dita) organizada pode ser membro de qualquer cargo em uma diretoria de clube. Ainda mais Presidente do Conselho Fiscal. Obviamente nem é ele o maior interessado na queda do Galo. E o alvo maior deve ser a Patrícia Amorim (embora já tenha gente dizendo que o tal Sr. Leonardo Ribeiro é ex-cabo eleitoral e assessor parlamentar dela, na Câmara Municipal).

As “forças ocultas” da oposição venceram mais uma batalha. Devem estar felizes vislumbrando a vitória final, pois, sem Zico em seu caminho, a Patrícia deverá se tornar alvo fácil.

Ah! Mas não foi o Zico que não conseguiu montar um time pós Copa decente? É. Ele não teve respaldo da diretoria financeira de quem era refém, dependente de “sei-lá-quantas” autorizações. Sem autonomia para poder assinar cheques não se comanda nem uma cantina de colégio, quem dirá o Departamento de Futebol de um Clube Hexacampeão Brasileiro.

Então quem diz que, como gestor, a passagem de Zico pelo Flamengo foi desastrosa, caso do Sr. Renato Maurício Prado (que também parece estar vinculado a algum interesse, no mínimo suspeito), não está considerando que, com mãos atadas, não se tem o que fazer. Outros jornalistas também se manifestaram no sentido de que a saída não poderia ter se dado da forma como ocorreu. Mas ninguém tem condições de dizer, sem margem de erro, que as coisas poderiam ter sido mais bem conduzidas. Não sabemos, e talvez jamais venhamos saber, o que de fato aconteceu em mais um caso escabroso, nebuloso e nefasto.

Júnior, o antigo maestro, que já passou pela mesma função que Zico ocupou, e também foi sabotado, sabe muito bem como funciona a bagunça, equivocadamente chamada de democracia, que impera na Gávea. Escreveu sobre a saída do amigo, colega rubro-negro dos tempos de jogador, no Fla e na Seleção, em seu site: http://globoesporte.globo.com/platb/visaodejogo/

Não há como gerenciar o Flamengo sem que suas decisões passem pelo crivo de diversos setores do Clube, muitos deles devidamente aparelhados pela oposição a quem quer que esteja na Presidência do Flamengo.

O interessante é entender que nem Júnior, nem Zico conseguiram trabalhar em prol do Flamengo porque dentro da Gávea há gente que se opõe a eles. O que leva essas pessoas a se oporem ao Zico? Que interesses estão por trás destas manobras, de todo este jogo sujo?

Quantos gols este tal de Leonardo Ribeiro fez pelo clube? Quantas vitórias e títulos ele conquistou para o Flamengo? Quanto dinheiro ele trouxe para os cofres do Rubro-Negro?

Nessa luta, venceu o interesse pessoal de uns poucos sanguessugas e perdeu o próprio Clube de Regatas Flamengo, e sua imensa torcida. Quem agora irá construir o Centro de Treinamento e organizar as divisões de base se nem Zico conseguiu? Com que credibilidade, com que moral, com que respaldo vão se dar os negócios feitos entre o Clube e seus patrocinadores?

E ainda periga o time cair para a Segundona. Como se mantém o elenco, o moral do grupo (que já não é dos melhores, vide a posição do time na tabela, pior campanha de um campeão brasileiro no ano seguinte à conquista do título, bem como ao relacionamento do treinador Silas, no relacionamento com seus comandados), no meio deste turbilhão de escândalos golpistas, de maracutaias e negócios escusos? Como se mantém o “foco” do elenco, para que não venhamos a sofrer a inédita humilhação de sermos rebaixados a uma divisão inferior?

Li todos os sites e blogs, do pessoal que vale a pena ser lido, da imprensa, acerca deste triste fato. Tanto os vinculados à Globo (Marcelo Barreto, Paulo César Vasconcelos, Lédio Carmona, Ilan House, Emerson Gonçalves, Décio Lopes, além dos já citados Renato Maurício Prado e Júnior), assim como aos ligados à ESPN (PVC, Paulo Calçade, Mauro Cezar Pereira, Patrícia Lopes e Juca Kfouri), e anseio por ler o que irá dizer o (poeta)Fernando Calazans. Vi todas as versões das notícias e declarações, inclusive anteriores, do Zico, do filho do Zico, do Presidente do Conselho Fiscal do Flamengo, da Patrícia Amorim e ficou bem claro que o maior prejudicado com a saída do Galinho foi o Flamengo. Que a maior vítima desta história é a Nação Rubro-Negra e nada além de política feita à base do Jogo Sujo foi o que acarretou a demissão do maior ídolo, e eterno camisa 10 da Gávea (imagem).

Impressionante. A briga pelo poder no Flamengo é uma guerra inconseqüente e insana, que não poupa ídolos, nem se mede danos. A teoria do “quanto pior melhor” é levada a uma prática extremista, irresponsável e vilipendiosa. O maior adversário do Flamengo está dentro da Gávea e senta-se nas reuniões da Diretoria. Será que era sobre este estado de coisas que Zico estava querendo nos alertar quando criticava a conquista do Hexa e o preço que ela têm custado para o Flamengo?

Desde que a Patrícia Amorim assumiu a presidência do Clube que a oposição mina o mandato dela de todas as formas. Começaram dizendo que o marido dela é tricolor, que ela só tem olhos para a “Turma da Piscina”, fora as declarações preconceituosas, machistas-chauvinistas, ou sexistas (até chamada de lésbica a “Patrição”já foi) , passando pelos erros e declarações equivocadas do ex-gerente de futebol anterior, Marcos Braz (sua péssima gestão, seus desmandos, declarações polêmicas e brigas com o Pet), pela(s) falta(s) de disciplina de jogadores, como nos escândalos provocados por Adriano, no início do ano, à lentidão na autorização para as contratações de jogadores para recompor o elenco, para chegarmos ao momento atual, com os ataques à pessoa e à família do Zico, culminando em sua demissão, através de carta aberta em seu site: http://www.ziconarede.com.br/portal/znr/colunas.php?pa=1589

Tenho a convicção, que espero o tempo transforme em certeza, de que “Uma vez Flamengo, sempre Flamengo”. E que o arremedo de Flamengo de hoje venha a se exaurir, para que possamos ver, em breve, ressurgir o Urubu-Rei Rubro-Negro, com toda sua força e plenitude. Só que, por ora, fica o gosto amargo, a tristeza sem par, o desalento e a certeza de que o Mais Querido está nas mãos de gente mal-intencionada, desonesta, escroque, covarde e mau caráter, quando o ídolo maior do Flamengo, em toda a sua história, se despede do clube com amargas palavras:

“(...)morreu no meu coração esse Flamengo de hoje que está representado por essas pessoas, algumas delas que sequer conheço e atuam dentro do clube como se fossem os donos.”

quinta-feira, 23 de setembro de 2010

Conmebol Ataca o Brasil



Até quem se beneficiou, e nunca sofreu, com as viradas de mesa da CBF, está agora estupefato, taciturno, embasbacado e bisonhamente estarrecido com a notícia, divulgada largamente pela mídia esportiva nacional, de que a vaga do Campeão da Copa Libertadores toma uma vaga dos clubes do país que venceu tal copa, para o ano seguinte. Já o campeão da Copa Sul Americana não interfere nas vagas destinadas ao seu país.

Com isso, o G4 do Brasileirão, que já tinha virado G6, considerando-se a classificação antecipada do Internacional (campeão da Libertadores deste ano), e do Santos (campeão da Copa do Brasil), virou G3. Parece até piada com o Buááááátafogo, mas nem é.

É para a CBF ir à FIFA, à ONU, chamar LULA e Obama, botarem juntos, suas tropas para invadir o Paraguay e a Província Cisplatina. Como retaliação comercial e ameaçarem não mais comprar trigo da Arghhhhentina.

Impressionante como a Argentina e o Paraguay têm poderes na tal da CONMEBOL. Bastou perceberem que o Brasil poderia ter 6 (seis), participantes na próxima Taça Libertadores, para nosotros hermanos, sejam eles de onde forem, rearranjarem as regras para excluírem pelo menos um brasileiro (enquanto os mexicanos que nem sul-americanos são, estão aí para o que der e vier, sempre convidados).

Que há muito tempo há uma incoerência com os calendários do futebol na América do Sul, disso não se duvida. Mas, mudarem a regra do jogo com a bola rolando, se não é por uma razão bem motivada, vide o falido Brasileirão 1986, é sacanagem pura e simples. Neste caso, contra os nossos times.

A Copa Sul-Americana não passa de uma Copa Conmebol que deveria ter o mesmo tamanho da Recopa - Copa Europa - Europa League, ou seja, um torneio e importancia de um "torneio consolação, para os times que não conseguiram ir para o melhor campeonato de seus continentes (lá, nas "Zooropas", UEFA Champions League, aqui, nas "latrinas", Taça Libertadores da América), correndo mais ou menos ao mesmo tempo, e não interferindo nas copas nacionais.

Na Inglaterra, se não me engano, os clubes jogam duas copas nacionais, além da Liga (campeonato nacional), e das copas européias. Aqui, ou se joga a Libertadores, ou se joga a Copa do Brasil e, quem sabe, a Copa Sulamericana.

Ou seja, em Terra Brasilis, se um time joga a Libertadores, suas chances de voltar a jogar a Libertadores do ano que vêm é vencê-la, ou se qualificar para ela no campeonato (da liga) nacional. Já quem não joga tal copa, tem duas chances mais fáceis, além de poder disputar a vaga na Liga Nacional (brasileirão).

E quando as regras do jogo nos permitiriam ter até 6 clubes no campeonato de clubes mais importante do continente, vetaram esta regalia conquistada, no meio de um temporada e com vigência já para a próxima, ou seja, um ato contra os Clubes (TODOS ELES. O SEU, O MEU, O NOSSO, O DELES), numa virada de mesa só comparável a da CBF no episódio das “Bolinhas” e da famigerada Copa (chupa saco do) João Havelange.

Se há uma regra, em jogo, ou em um contrato social, todos, inclusive aqueles que fazem as regras, são obrigados a cumprir. Se o combinado, dentro da regra, foi algo de que não se gostou e se sente a necessidade de se alterar a regra, esta alteração será feita para frente, nunca atingindo feitos anteriores.

Ainda assim, tiram uma vaga brasileira da próxima Libertadores, depois de um time brasileiro conseguir o acesso ( e uma vaga a mais para o Brasil), e ainda assim, na cara-de-pau nos tiram esta vaga. Depois, os malandros somos nós...

Se eu não me engano, enquanto o Boca Jr e o River Plate tinham acessos “garantidos” (naquele campeonato deles, em que só caindo uns cinco anos seguidos estes times iriam para a segunda divisão) na Libertadores e na Sul Americana, tudo estava tranqüilo. Mesmo sem alterarem estas regras, bastou um dos dois, ou ambos não irem para a Libertadores deste ano, e um time brasileiro ganhar a copa, para mexerem os ”pausinhos”.

E ainda tem brasileiro incalto que veste a camisa de time arghhhentino.

Fonte da Imagem: http://www.google.com.br/imgres?imgurl=http://www.ebafutebol.com.br/wp-content/uploads/2010/04/conmebol.jpg&imgrefurl=http://www.ebafutebol.com.br/%3Ftag%3Dconmebol&usg=__j3LrnIYqVT9claPNF5CT_aY0ZDE=&h=216&w=216&sz=21&hl=pt-BR&start=0&sig2=XikX0xLV9o23SCkP9SmTkQ&zoom=1&tbnid=Uw9OU-TRsJ1IEM:&tbnh=146&tbnw=146&ei=LuGaTLLwLoOBlAemp9WCCg&prev=/images%3Fq%3DConmebol%26um%3D1%26hl%3Dpt-BR%26client%3Dfirefox-a%26sa%3DN%26rls%3Dorg.mozilla:pt-BR:official%26biw%3D1503%26bih%3D633%26tbs%3Disch:1&um=1&itbs=1&iact=hc&vpx=470&vpy=130&dur=2262&hovh=172&hovw=172&tx=113&ty=81&oei=0eCaTIjHI4HGlQeJ_NTjCQ&esq=12&page=1&ndsp=24&ved=1t:429,r:2,s:0

terça-feira, 21 de setembro de 2010

Dorival Jr Perde Queda de Braço Contra o Menino Mimado da Vila.


Logo após o treinador Dorival Júnior anunciar que manteria a punição de Neymar, barrando o jogador no clássico contra o Corinthians, a diretoria santista, insatisfeita com tal decisão, se reuniu às pressas e decidiu pela demissão do técnico.

Que se pese a importância exagerada dos treinadores, e sua supervalorização, no futebol mundial, nos tempos recentes, há também a supervalorização exagerada de jogadores, alçados a categoria de craques intocáveis, que tudo podem e que a niguém devem satisfações sobre seus atos.

A supreendente demissão do treinador Dorival Júnior pode ser maléfica não apenas ao Santos mas a todo o futebol brasileiro, no caso de estarem mesmo "criando um monstro", como disse Renê Simões, após ouvir os impropérios ditos pelo "menino mimado".

Em tempo. O Santos de Dorival Júnior tem dois títulos conquistados neste ano. Campeão Paulista e da Copa do Brasil. Tinha condições de disputar o título de campeão brasileiro, embora prejudicado pela diretoria, que vendeu dois de seus principais jogadores (André e Wesley), e também pela falta de sorte, com a lesão sofrida pelo Paulo Henrique Ganso.

No site do Santos ainda não consta a demissão de seu treinador, mas, o canal SporTV (ainda durante a transmissão de Náutico 1x0 Figueirense), o site do Globo Esporte e a ESPN estão anunciando a saída do Dorival Jr, motivada, justamente pela manutenção da punição ao Neymar.

Sem Dorival Jr (que agora, de volta ao mercado, está na mira do São Paulo), o Santos será comandado no clássico pelo ex-goleiro Marcelo Martelloti (segundo o site da ESPN), ou pelo ex-zagueiro Narciso (segundo o site do Globo Esporte), e terá Neymar em campo. Resta saber como ficará o grupo, qual respaldo terá o próximo treinador do Santos, já de antemão sabendo que não poderá disciplinar as rebeldias do "menino-prodígio" (ou protótipo de craque), e se o Neymar, um dia, se transformará de fato em craque, ou em "monstro".

Fonte da foto: http://www.santosfc.com.br/

quinta-feira, 16 de setembro de 2010

Diego Maurício Diz “Presente!” E o Fla Vence - Resenha da 22ª Rodada do Brasileirão 2010 - Jogos do Quarta


Finalmente o ataque do Flamengo marca e, de virada, o time vence fora de casa.
Após mais de mil horas sem marcar, o último atacante do Flamengo a fazer um gol, Diego Maurício (foto), marca e interrompe o jejum de gols do ataque rubro-negro.
Depois de estar perdendo por 1x0, para o Grêmio “Sei-lá-o-quê” (aquele que muda de nome, e de cidade), o Fla, jogando o mal, e com muita dificuldade, contra um adversário q tinha um jogador a menos desde o primeiro tempo, conseguiu, no final da partida, virar o jogo e interromper também a seqüência de partidas sem ganhar.

Com a vitória de hoje, o Fla avança na tabela, passa o Avaí e o Vitória, empata em pontos com o Grêmio (o porto-alegrense), e pode ter feito a partida emblemática do time, rumo a uma campanha melhor neste campeonato.

Num campeonato em que já falaram que o Botafogo teria time para disputar o título (não tem), em que o Santos tem um time para estar na ponta, mas, vacila (assim como o Neymar, que aprontou mais uma). Em que a FLUmimed patina, e o Inter não mostrou a que veio ainda, sobrou o Timão como líder natural (tem um jogo a menos e os mesmos pontos do Tricolor das Laranjeiras).

Mesmo em casa, em pleno "Vazião", a Flumimed perdeu para o Timão. Gols de Jucilei e Iarlei para o líder do campeonato (considerando o jogo a menos, contra os cruz-maltinos). Coração-Valente ainda descontou para os tricoletes.

Correndo por fora está o Cruzeiro, que embora não tenha nem elenco, nem treinador, para vencer o Brasileirão, está ganhando os pontos nas partidas de risco, sem o seu estádio (o Mineirão já está fechado para reformas), sem o mesmo número de torcedores num estádio, mas, sem se fazer de rogado. Quase ficou num empate, contra o Guarani, quando esteve vencendo por 2x0 antes, mas cedeu o empate ao Bugre, que jogou com menos um desde o 1º tempo, mas teve forças para superar as dificuldades e vencer por 4x2 uma partida que deveria ter sido mais fácil. Mostra que está na briga e, não à toa, está na 3ª posição na tabela do campeonato.

Sobre as demais partidas desta noite, é preciso falar sobre o efeito botafoguense, se achando poder vencer o campeonato, acreditando ter o melhor time do campeonato.

Toda vez que o botafoguense deixa de ser desconfiado, o time dele o coloca em seu lugar. Pior que tenha sido justo contra o Goiás, comandado por Jorginho, ex-auxiliar de Dunga, na Copa 2010, que tenha acontecido a ruína do alvinegro. Outro alvinegro que passa por uma situação complicada, não em pontos, nem mesmo nesta rodada, ou mesmo na tabela do campeonato, mas no relacionamento entre jogadores e comissão técnica, é o Santos.

Não faz muito tempo nós, brasileiros, admiradores do futebol, execramos o Jorginho (eu inclusive), pela truculência com que tratou a imprensa em entrevistas, pela forma como auxiliou o “anão Mestre”, ooops, Dunga, no mal sucedido “safári” na África do Sul. E nós, amantes do futebol arte, enaltecemos o Neymar (eu inclusive), muitas gente boa, inclusive, querendo que ele fosse convocado para a Seleção (eu não o escalaria para a Seleção Brasileira que foi para a última Copa).

O que aconteceu hoje mostrou um Jorginho, novamente elegante nas entrevistas pós jogo, e um Neymar mimado, mascarado, “estragado”. Ninguém disse o que o Neymar falou. Mas Tanto os comentaristas, como os treinadores do Santos, mais comedido, e o Renê Simões, do Atlético Goianiense, muito mais enfático sobre o que ocorreu, falaram sobre o ocorrido, sobre mais este "incidente" com o novo "menino da Vila". Renê Simões não polpou palavras e declarou; "Nunca vi na minha longa vida no futebol um rapaz mais mal-educado(sic)..."!

Eu acho que se o tivessem convocado antes, o teriam estragado. Se fosse para Europa, acabariam com ele, e nada disso aconteceu. Mesmo assim ele está "mascarado", mal-criado e mal-educado. Miércolis que está no meu Cartola.

Aliás, para o meu Cartola, nem a vitória do Flamengo valeu de grandes coisas na pontuação do Fantasy Game da SporTV. Toró e Diego Maurício são reservas (apesar do Toró ter entrado como titular). Pior foram as derrotas do Flu, do Grêmio (o verdadeiro), e os gols sofridos por Cruzeiro e por Atlético Paranaense, apesar de suas vitórias.

Fonte da Foto: http://www.flamengo.com.br/site/noticias/noticia.php?id=10417

terça-feira, 14 de setembro de 2010

Harmonização - Hamburguer Real & Cerveja


Na rastro do US Open, bem como da conquista norte-americana no Mundial de Basquete da Turquia, além de, a pedidos da Rainha, ontem foi noite de Hamburguer. Seguindo os ensinamentos de Anthony Bourdain, nada de comer hambuguer no restaurante do "palhaço" ou do "rei". Hamburguer bom se faz em casa.

Inspirado também numa nova série de programas culinários, Man X Food, do Travel Channel (aqui exibido pelo canal à cabo Fox Life), apresentado pelo simpático apresentador Adam Richman, trabalhamos uma tradicional receita, com elementos que possibilitaram fazer um sanduíche de grandes proporções.

Não chega a ser épico, mas leva, em sua composição: 165 g de carne sendo 85% carne de boi - patinho + 15% de linguiça calabreza, moídos juntos - ovo e queijo parmesão para dar liga; molho rosé, feito sobre base de maionese de alho com raspas de casca e suco de limão; cebola caramelizada em manteiga com molho de soja shoyu; ovo frito; alface; tomate; picles (azeitona opcional); e queijo cheddar fatiado.

Para acompanhar, nada melhor do que uma boa pilsen premium, de sabor amargo, como a lager Stella Artois, que sugerimos (foto), mas vale Carlsberg ou Heineken, ou ainda uma boa Red Ale.

Foto por Viviane Gorgati Viegas - Câmera Canon Powershot A550

segunda-feira, 13 de setembro de 2010

Nadal Conquista a América


Rafael Nadal (foto) conquistou hoje o único título de Grand Slam que lhe faltava, o do Aberto dos Estados Unidos (US Open), ao vencer o sérvio Novak Djokovic por 3 sets a 1 (6-4, 5-7, 6-4, e 6-3). O espanhol é apenas o sétimo tenista em toda história a conquistar todos os quatro torneios de Grand Slam (Alberto da Austrália, Wimbledon, Roland Garros e US Open). Com mais este título, o "Touro Miúra" consolida a sua posição de tenista n.º 1 do mundo.

Fonte da foto: http://www.usopen.org/en_US/news/photos/2010-09-09/201009091284073545469.html

domingo, 12 de setembro de 2010

Chuva Adia Final do US Open.


Na primeira vez que Rafael Nadal (foto) consegue chegar a uma final do Torneio Aberto dos Estados Unidos, o único título do Grand Slam que ainda falta em sua carreira, a chuva adia a partida final e lhe dá um dia de descanso.

A trajetória do "Touro Miúra", este ano, é impressionante, e o n.º 1 do tênis no mundo ainda se deve este torneio. Vai ter de esperar mais um pouco para poder conquistá-lo.

Infelizmente, a final esperada, contra Roger Federer, costumeiro campeão deste torneio, não irá acontecer neste ano. O suíço perdeu para o sérvio Novak Djokovic na semi-final, adiando por mais um ano, no mínimo, o confronto.


Será que amanhã a chuva dará uma trégua? Será que, com os zilhões de satélites meteorológicos que os EEUU possuem, não dava para prever, no terceiro ano seguido, que choveria nesta data? Não dá para o US Open ocorrer em outra data?

Bom, questões sobre calendário esportivo são sempre controversas. O do futebol brasileiro que o diga. Como assim um time que disputa a Libertadores não pode disputar a Copa do Brasil? Porque a Copa Sulamericana não ocorre junto com a Copa Libertadores, assim como na Europa ocorrem a UEFA Champions League e a Copa da Europa?

Porque um campeonato paulista tem 20 clubes? Porque o "Carioquinha" tem mais de oito equipes e dois turnos? Aliás, porque os campeonatos Gaúcho e Mineiro também têm mais de oito clubes na 1ª divisão estadual? Em alguns estados, é verdade, há necessidade de três turnos, trocentos clubes e campeonatos que durem quase o ano inteiro, senão, não haverá jogo de futebol em tais localidades. Porém, nos principais estados, onde estão os clubes que compõem a elite do futebol nacional, os campeonatos estaduais são longos, deficitários e atrapalham todo o resto do calendário.

Vale menos a rivalidade local, ainda mais contra os Olarias, Bragantinos, Ipatingas, e Juventudes, do que um melhor planejamento dos clubes, com um campeonato brasileiro que, respeitando as estações do Hemisfério Sul, e as características climáticas que dela decorrem, se adeque melhor ao calendário internacional (europeu) de futebol.
Reduzindo os estaduais para um tamanho adequado não teríamos mais espaço para um campeonato brasileiro em que, o 1º turno terminaria antes do fechamento da janela internacional de transferências?

No calendário do tênis, a desculpa dos americanos ainda pode ser o "famigerado" São Pedro. Qual a desculpa da CBF e da COMEBOL para o rídiculo calendário que nem em ano de Copa do Mundo é alterado?

Fonte da foto: http://br.noticias.yahoo.com/s/afp/100912/esportes/t__nis_eua_aberto?utm_source=twitterfeed&utm_medium=twitter

quinta-feira, 9 de setembro de 2010

Volta, Andrade!



Se já foi ridícula uma campanha "código binário" no Brasileirão pós Copa. Se foi irritante ver o time tomar uma virada nos acréscimos do segundo tempo e contra um time de segundona (apenas passeando na elite). Se foi frustrante ver o time jogar bem, mas não fazer o gol, na despedida do Maracanã, hoje à noite foi decepcionante ver o time mal escalado no início, mal mudado e mal armado, no meio, e mal tratado no final.
VOLTA, ANDRADE!

Fonte da Imagem: http://www.google.com.br/imgres?imgurl=http://www.eusouflamengo.com/images/andradeGrd.jpg&imgrefurl=http://www.eusouflamengo.com/andrade.php&h=500&w=362&sz=16&tbnid=OoRYhVZFVkZjAM:&tbnh=130&tbnw=94&prev=/images%3Fq%3Dandrade&zoom=1&q=andrade&usg=__RIhYwm4ww8_qJ6qVYV2uX8YcWBE=&sa=X&ei=z1yITIS_CsT6lwe20uTxDw&ved=0CDsQ9QEwCA
PS: Ainda faltam 23 pontos.

domingo, 5 de setembro de 2010

No Coliseum do Pacaembú, Timão Centenário Arrasa o Goiás.


Ainda em clima de festa, em face de seu centenário, e do anúncio da construção do Fielzão, o Corinthians venceu, de virada o Goiás, por 5x1, gols de Bruno César (artilheiro isolado do Brasileirão 2010 com 9 gols– foto), Iarley (2),Jorge Henrique e Boquita (Júnior inaugurou o placar pelos visitantes do Centro Oeste), pela 19ª Rodada do Brasileirão 2010 e pode terminar o 1º turno em primeiro lugar. Apenas um ponto separa o Timão do Líder, Fluminense, mas, o Corinthians tem um jogo a menos.

O visitante, comandado pelo ex-auxiliar de Dunga na seleção, o ex-atleta de Cristo, Jorginho, até tentou estragar a festa do povo alvinegro, mas, uma semana que começou com boas notícias e seguiu com festividades, não iria acabar em decepção. E mais uma vez o gosto por volantes e por “pegadas” excessivas puniu o “Pastor”., que teve um jogador expulso e substituiu seu melhor atacante por outro volante.
Os jogadores do Timão entenderam que a semana era de festa, tiraram vantagem disso e foram à luta. Mesmo desfalcada na defesa (atuou com os zagueiros reservas), a equipe teve personalidade, e qualidade, do meio pra frente, para contornar a situação. Bruno César (um dos meus meias no Cartola FC), empatou. Adilson Batista, treinador do Corinthians, também entendeu o recado e tirou um volante(Paulinho), para a entrada do meia Defederico. A partir daí, os "Deuses do Futebol" premiaram a ousadia e o Timão mostrou que é pra frente que se joga. Melhor no segundo tempo, o Corinthians continuou atacando e Bruno César lançou Iarley (que já tinha mandado uma bola na trave, momentos antes), que após driblar Harlei, virou o placar. Festa da torcida mais Louca de São Paulo. E a festa continuou, com os gols de: Jorge Henrique, aproveitando rebote de Harlei em cabeçada do artilheiro do Brasileirão 2010,Bruno César; Iarlei de novo (em pênalti duvidoso – acho que foi, mas, o defensor goiano tocou primeiro na bola - lance de interpretação do árbitro), e por fim, Boquita, em despretensioso chute de fora da área quando a torcida corinthiana gritava olé, deu números finais à Festa.

Aqui no Rio, “Rei” e “Príncipe” empataram em 2x2. Melhor pro Grêmio, que leva um pontinho para Porto Alegre. Enquanto Joel Santana vai ter de se entender novamente com o Loco Abreu, por novamente tê-lo tirado da partida, mas, desta vez, com o time cedendo o empate depois. O que quase foi uma injustiça. O alvinegro carioca chegou a fazer linha de passe na área do Grêmio (o gaúcho), e perder chances claras de gols com o quarteto formado por Maicossuel, Cajá, Caio e Edno. Melhor para Jonas, que fez os dois do Grêmio. Antonio Carlos, no início, e Herrera haviam marcado antes pelo “Glorioso”.

PC Gusmão não apenas continua invicto como mostra que é melhor que a soma de seus antigos pares, tirando a invencibilidade do Ceará, em pleno Vovôzão. Contou com um gol de Zé Roberto, em bela jogada do ataque vascaíno, e com a ajuda do substituto do Diego, Michel Alves, (por que raios Diego não jogou?), que falhou clamorosamente no 2º chute do Felipe Bastos (o 1º ficou na barreira, em cobrança de falta), para manter sua invencibilidade no Brasileirão. E isso sem usar o Felipe. Com a vitória, os Cruz-Maltinos dormem na 7ª posição da tabela.
Será que o Silas deve copiá-lo e tirar mesmo, como vem anunciando, ou o Renato Abreu, ou o Petkovic?

Foto: http://www.timaoweb.com.br/timaopedia/index.php?title=Jogo_N%C2%BA_5182_-_Corinthians_5_x_1_Goi%C3%A1s-GO

sábado, 4 de setembro de 2010

Última Rodada do 1º Turno do Brasileirão 2010.


Após longo e tenebroso inverno, sem escrever, conseqüência, dentre outros fatores, também do estado de coisas em que se encontra o futebol brasileiro, com o pífio desempenho apresentado durante a Copa do Mundo, e, em particular com a situação do Flamengo, com sua campanha “código binário” (interrompida por uma derrota de virada nos acréscimos do 2º tempo, em Campinas), volto aqui para, em primeiro lugar, novamente pedir desculpas pela ausência, e, em seguida, voltar aos comentários sobre o futebol, bem como sobre outros esportes, e sem esquecer o Roquenrow e as biritas...

Que o moral rubro-negro não anda em alta, isso não é novidade. Seja por fatores extra-campo, seja com a bola rolando. Mesmo após a mudança no comando da equipe, e, antes mesmo disso, com a volta de nosso ídolo máximo, agora no comando do Departamento de Futebol da Gávea, a nação ainda está ressabiada.

Mesmo na 1ª partida pós Copa já se podia ver que as coisas estavam para baixo, com a torcida do Mengão em menor número do que os botafoguenses no Maraca. De qualquer forma, se a Nação Rubro Negra não esteve presente em grande quantidade, pelo menos qualidade não faltou, inclusive contando com a presença ilustre dos fundadores da FLAustria, meus amigos Daniel Burnier e sua namorada austríaca, Sandra (foto), que moram em Viena. Além de acompanhá-los, pude pagar uma dívida com o meu sobrinho, Hugo Viegas, 30 anos, de levá-lo a um jogo no Maraca. Apesar dele ser Vascaíno torceu conosco pelo Mais Querido, em sua 1ª vez no Palco Sagrado do Futebol Mundial. Menos mal que vencemos, mas, não me lembro quando foi a última vez em que a torcida do Flamengo estivera em menor número do que a de qualquer outro time em pleno Maracanã.

Para piorar, vamos ficar sem a nossa casa, que fecha para as obras visando a Copa 2014. Não sei para quê fechar, muito menos porque estão destruindo o anel inferior do estádio que já foi o maior do mundo, mas que só diminui de tamanho a cada obra. Lembrando que a última foi para o Pan 2007, ou seja, há três anos atrás. E como é que para reformar o Estádio Mario Filho serão necessários mais de 700 milhões de Reais? O Fielzão, construído por inteiro, do nada, não vai custar cerca de 500milhões?

Se por um lado o tricolor carioca vai bem, continua líder e tem, ao lado de Santos e Inter, um dos melhores elencos do país, sua saúde inspira cuidados, após os recentes “espirros”. Já se foram 4 empates (Grêmio Cigano, Cruz-Maltinos, Bambis e Palestra Itália) e a “gordura” que tinha em relação ao vice-líder já foi pro espaço (considerando-se que o Timão tem um jogo a menos). Um tropeço em Campinas, nesta rodada de fim de turno, deve acender o sinal amarelo nas Laranjeiras.

O alvinegro vai se mantendo entre os líderes, mesmo sem jogar bem. Mesmo que saia derrotado, no confronto entre o “Rei” e o “Príncipe”, “Papai Natalino” fechará o 1º turno com a equipe na zona da Libertadores, que virou G6.

Já os Portugas defendem a invencibilidade pós Copa (ou de seu comandante, no Brasileirão, que antes treinava o Ceará), justamente contra o ex-clube de PC Gusmão. Defesa arretada de fechada, e com cria da Gávea no gol (Diego).

Ao que tudo indica e não havendo grandes surpresas, o título do Brasileirão 2010 ficará nas mãos de um dos líderes ao fim do 1º turno: Fluminense, Corinthians, Inter ou Santos. Já na luta por não cair a briga parece que será mais acirrada e ainda é muito cedo para se prever algo.

Parabéns aos Meninos da Vila pela Copa do Brasil. E aos Colorados por mais uma conquista continental, o Bi da Libertadores. Será que algum clube brasileiro fatura a Sul-Americana, e com isso, mais uma vaga para o Brasil, na Libertadores 2011?

Em breve, comentários sobre o Mundial de Basquete, na Turquia(tem Brasil X Argentina pelas Oitavas de Final no Dia da Independência), US Open (último Grand Slam do ano, com Nadal e Federer arrasando seus oponentes, além das belas Ivanovic, Wozniacki e Sharapova).

E também: Resenha sobre um recente álbum de uma das maiores bandas de Heavy Metal de todos os tempos. E a volta das degustações de cervejas.

Até breve.

Foto: Joana Carolina Viegas – Maracanã - 14.07.2010 – Flamengo 1x0 Botafogo.

sexta-feira, 16 de julho de 2010

Viva a España! Bem Vinda ao Clube dos Campeões.


Venceu a técnica, o toque e a posse de bola, ou seja, o estilo Barcelona de jogar. Não é a toa que a Seleção Espanhola teve como base o clube Catalão. O gol do Iniesta, na prorrogação, encerrou uma das mais longas das filas, entre as potências do futebol mundial. Agora só falta a Holanda, só que a Holanda é o Vasco dos mundiais.

Acreditei, e até apostei na seleção D’Orange, pensando que o time só tinha jogado pro gasto, nas outras partidas (com exceção do 1º tempo no jogo contra o Brasil, em que a Holanda ficou a ver navios e no finalzinho do jogo contra o Uruguai, em que quase entregou o resultado). Mas, na verdade, a seleção holandesa que se apresentou neste mundial era tecnicamente limitada e dependente da criatividade de Sneijder e das boas jogadas de Robben.

Para piorar, na final, a Holanda lembrou o time da copa anterior, no jogo contra Portugal, descendo a bordoada no time espanhol, que também bateu bastante. O jogo da final da Copa 2010 foi feio, horroroso, pelo menos até o Vicente Del Bosque por em campo Fábregas (que ainda não entendo como foi reserva) e Jésus Navas.

Seja como for e apesar da derrota espanhola na estréia, a Copa Fifa estará em boas mãos pelos próximos 4 anos. Além do mais, o título da Espanha simboliza a vitória do futebol bem jogado, face ao futebol de resultados, de guerreiros botinudos.

A escolha de Furlan como melhor jogador foi acertada, e há muito tempo a copa não tinha tantos artilheiros empatados, nem artilheiros com tão poucos gols. Villa, Sneijder e Furlan, todos com apenas cinco gols.

Já a Seleção da Copa, escolhida pela Fifa, improvisa demais na defesa, escalando três laterais direitos, dois deles improvisados. Mas não é de toda incoerente:

Casillas; Maicon, Sérgio Ramos, Puyol e Lahm; Xavi, Schweinsteiger, Iniesta e Sneijder; Villa e Forlán. Técnico: Vicente Del Bosque.

Prefiro a Seleção da publicação francesa 'L'Équipe':

Casillas; Sergio Ramos, Puyol, Friedrich e Van Bronckhorst; Schweinsteiger, Iniesta, Müller e Sneijder; Forlán e Villa.

Escalaria ainda como treinador o Joachim “Melecão” Löw.

E como o ”Figuraça da Copa”, Don-Dieguito-Mano-de-Dios-Armando-Uma-Paradona; e como “Pé-Frio da Copa”, o imbatível roqueiro Mick Jagger. “Troféu Gato-Mestre” para o “Polvo Paul”.

Acabou a festa...
Adeus 2010! Bem vindo 2014.

Fonte da foto: http://pt.fifa.com/worldcup/matches/round=249721/match=300061509/summary.html

quinta-feira, 8 de julho de 2010

Finalmente! Fúria na Final! Será que desta vez o Naranjito será holandês?


Numa belíssima partida, a Espanha (foto) consegue seu melhor desempenho numa copa do mundo e vai às finais. O 1x0 no placar não traduziu nem a emoção, nem o que foi o jogo, em que a Fúria, até que enfim, chegou a sua primeira final de copa do mundo, com um gol inesperado por todos, até mesmo pela defesa da Alemanha, de Puyol.

A Holanda ontem deu show, apesar do auxilio do "apito amigo", no segundo gol. Ainda assim, continuou marcando, poderia até acabar com a partida e, ao não fazê-lo, quase permitiu a reação cisplatina.

Como seria bom se tivesse acontecido um gol uruguaio no final do jogo. Pelo menos levaria-o a prorrogação e teríamos o prazer de ver pelo menos cerca de mais trinta minutos mais de futebol bem jogado e disputado.

Já os espanhóis seguiram o script e também perderam a chance de matar a partida, em lance bizonho do atacante do Barcelona, Pedro. Estaria numa seleção bola murcha, se eu fizesse uma nesta altura do campeonato.

Mas o que importa é que a final inédita será entre Holanda x Espanha. E que o polvo profeta acertou mais uma.

Novo integrante garantido no rol dos campeões mundiais. Uma delas já faz tempo que devia estar neste clube. A outra aproveita o seu melhor momento na história. E ainda assim vem com força de favorita.

Se valer a escrita, a Holanda será tri-vice. Mas como nunca jogou contra a Espanha numa final, e como será a 1ª final da Fúria, talvez seja esta a chance dos Oranges.

A Holanda não perdeu para ninguém. Nem para a nossa Seleção. Já a seleção espanhola perdeu para a da Suíça, na 1ª rodada.A Espanha joga com quatro volantes no meio de campo. E ganhou da seleção mais ofensiva desta copa, a que um ponta direita virou cabeça de área, e assim ganhou fazendo quatro gols na Inglaterra e mais quatro na Arghhhentina.

Já a Holanda venceu todo mundo, e só jogou para o gasto em cada partida que disputou.

Está difícil acreditar que será o futebol de cada equipe o que vai definir o campeão desta copa.

Acho que estará mais no coração de cada jogador o elo entre a conquista e fracasso.

Quem tem mais paixão seria a Espanha? Ou quem fará mais, para provar as gerações
passadas será a Holanda? Domingo saberemos.

O Uruguai foi valente, jogou para ganhar, mas não conseguiu vencer a seleção holandesa. Talvez, tenha sido por não poder contar com Luís Suarez.

A Alemanha, com certeza, sentiu falta de Mueller. Mas enquanto a Celeste poderá comemorar o melhor desempenho em copas do mundo desde 70’, a Alemanha sente e talvez se prepare para 2014.

Nem Schweinsteiger, nem Iniesta jogaram bem hj. Tampouco Klose ou David Villa. A vaga de craque da copa está cada vez mais nas mãos do holandês Sneijder.

O jogo de hoje se definiu numa cabeçada de Carles Puyol.

Inacreditável. Numa bola aérea, a Espanha vence a Alemanha. Não foi o toque espanhol, não foi o mortal contra ataque alemão (faltou o Mueller), foi uma bola aérea, na área das torres germânicas, que teve como alvo atacante o contestado zagueiro Puyol a escorá-la... Escorar não... Chutá-la com a cabeça rumo às redes teutônicas.

Vendo a Holanda e a Espanha chegarem à final, penso nas possibilidades que teríamos de conquistar o HEXA se tivéssemos em campo Ronaldinho Gaúcho e Diego no time titular. E se ao invés de Felipe Melo o nosso 2º volante fosse o Tiago Motta, campeão europeu e italiano com a Inter de Milão.

Voltaremos a pensar nisso depois que o novo treinador da Seleção for anunciado pela Congregação dos Beócios do Futebol. Espero que seja o Leonardo, ou o Felipão.

Mas, agora, o que vale é a final entre Espanha X Holanda. Pela primeira vez na história das copas, nem Brasil, nem Alemanha, nem Itália, nem Arghhhentina estará na grande final.

Penetras invadiram a festa e teremos um novo membro no clubinho. Mas o que vale é o título inédito que uma, ou outra, seleção conseguirá, no próximo domingo.

A Holanda está invicta e só jogou pro gasto até agora. A Espanha fez uma exuberante partida hoje, mas, ainda assim conseguiu perder para o “ferrolho suíço” na 1ª rodada desta copa. Poderia, sequer, ter se classificado para as oitavas de final.

Interessante ver uma seleção que venceu todos os seus confrontos desde as eliminatórias contra outra que em plena copa do mundo, apesar de ser favorita, deu vexame e ainda assim pode ser campeã.

Vexame e glória, ou consistência, coerência, compromisso aliados a bom futebol, ofensivo mas, de resultados?

Acabou o 4-4-2? Ambas as seleções que irão à partida final jogam o 4-2-3-1, que é, ou uma versão do 4-3-3, no ataque, ou uma versão do 4-5-1 na defesa. Ou criaram outro setor no campo e não nos avisaram? Será q é novidade ou eu pensei q isso existia antes e já tinha visto funcionar em outros times?

De qualquer forma, a lógica, para o desfecho da copa, aponta para os Oranges. Comandados por Sneijder, que herdou dois gols. Um do Felipe Melo contra e outro da arbitragem, contra Uruguai, em que Van Persie estava impedido e participa da jogada,a Holanda esta mais perto do título do que unca este, nem mesmo com a "Laranja Mecânica". E com isso, Sneijder pode até se tornar o artilheiro e o craque desta copa, após a final.

Seleção das semifinais: Iker Casillas, Sérgio Ramos, Pique, Puyol e Van Bronkhorst; Xabi Alonso, Xavi, Sneijder, Robben e Furlan; Kuyt e Van Persie (não houve atacantes marcando nestas semifinais e Van Persie, mesmo impedido, foi determinante no 2º gol da Holanda).

Fonte da foto: http://pt.fifa.com/worldcup/matches/round=249719/match=300111114/summary.html

sábado, 3 de julho de 2010

Touro Miúra abate Cavalo Paraguayo.


David Villa (foto) acertou a bola duas vezes na trave, no mesmo chute, e ainda marcou o gol que colocou a Fúria na semifinal da Copa do Mundo 2010. Em partida animada, bastante disputada, e com arbitragem confusa, a Espanha espanta a zebra paraguaia.

Como torci por um golzinho paraguaio no final. Nem era por torcer pelo Paraguai. Apostei na Espanha, mas no final, a partida estava tão gostosa de assistir que foi um pecado não podermos ver por mais 30 minutos.

Quanto aos lances, os times e a tumultuada arbitragem se encarregaram de garantir as fortes emoções do jogo. O Paraguai estava melhor na partida e teve a chance de abrir o placar. Foi muito pênalti de Pique, ao agarrar em sua área um jogador paraguaio, e não soltá-lo. Mas Iker Casillas defendeu muito bem a cobrança de pênalti mal batida por Cardozo. Na seqüência da jogada, Villa aparentemente mergulha na área paraguaia e o árbitro deu pênalti. Não sabemos se o árbitro se arrependeu, mas manda voltar a cobrança convertida por Xabi Alonso, alegando invasão de área, que só acontece após a batida na bola. Na segunda cobrança Xabi Alonso bate mal e Villar, goleiraço paraguaio, defendeu, espalmando. Na seqüência, Fábregas sofre penalti claro, não marcado pelo fraquíssimo árbitro.

A partida continuou animada, até que, já no final do 2º tempo, Iniesta dribla três, toca para Pedro (que entrou no 2º tempo, no lugar de El NIño Torres, ainda mal fisicamente e sem marcar na copa), e o atacante do Barcelona manda na trave. Na sobra Villa domina mal, mas consegue chutar antes da chegada da zaga. A bola bate nas duas traves antes de entrar no gol. Villa artilheiro da Copa 2010 com 5 gols.

O Paraguai teve brio e lutou pelo empate até o final. E que bom teria sido se tivesse conseguido marcar. De qualquer forma, melhor campanha do Paraguai em copas. Perderam, mas com honra, dignidade, raça, suor e lágrimas. Linda cena do Cardozo, chorando, sofrendo por entender que ele tivera a chance de colocar a sua seleção nas semifinais da copa, e a desperdiçou. Até os jogadores espanhóis deixaram um pouco de lado as comemorações, para consolar o atacante derrotado.

A Espanha terá agora sua chance de chegar a uma final de copa do mundo. Só que, em seu caminho, encontrará a seleção sensação do momento. A poderosa Alemanha. Possibilidades de ser a melhor partida desta copa.

Fonte da foto: http://pt.fifa.com/worldcup/matches/round=249718/match=300061506/summary.html

Adiós, Maradona! Argentina Cai de 4 no Salsichão Alemão.


Na melhor partida da Copa do Mundo 2010, até o momento, a Alemanha arrasa a Argentina de Maradona, faz o gol mais rápido da copa, com Mueller, aos 3’ do 1º tempo, e goleia por 4x0 a seleção de nosotros hermanos.

A seleção argentina caiu justamente quando enfrentou o primeiro adversário de peso.

E a Alemanha jogou à brasileira (de antigamente), com um ataque eficiente e um contra ataque mortal que, ao se confrontar com a débil defesa argentina, não teve dificuldades em construir um grandioso placar. Poderia ter feito mais gols, pois praticamente explorou apenas o seu lado esquerdo, direito da defesa argentina, não se dando ao trabalho de explorar a “Autoban” livre que a defesa argentina disponibilizava em seu lado direito.

Klose, com dois gols na partida, chega mais perto da marca histórica de Ronaldo, o maior goleador dos mundiais. Por outro lado, a Alemanha perdeu Mueller para o jogo da semifinal.

Com o resultado adverso, Maradona se desdobrou em caras e bocas (foto), não colocou Verón e Milito em campo, se despede do comando da seleção argentina, mas continua sendo a figuraça da copa. E Messi se despediu do mundial sem fazer um gol sequer.

A Alemanha segue forte para o confronto contra a Espanha. Depois de fazer os melhores três jogos da copa, um em cada fase, podemos apostar que a próxima partida também será um jogaço. Até quarta que vem.

Fonte da foto: http://www.viacomercial.com.br/2010/07/03/copa-adeus-hermanos-argentina-e-goleado-pela-alemanha-4-x-0/